Fé - Gratidão e compromisso é o tema de Assessoria da FLT na paróquia de Massaranduba

Nos dias 25, 26 e 27 de setembro, o professor Roger Marcel Wanke esteve na Paróquia de Massaranduba, a convite da Pastora Elke Doehl e do Pastor Claudir Burmann, onde prestou assessoria sobre o tema: Jesus sustenta a sua Igreja: Fé – Gratidão – Compromisso. Membros de várias comunidades da paróquia se fizeram presentes para esse momento de reflexão e edificação. Diversos grupos musicais da paróquia também abrilhantaram as três noites, conduzindo o louvor a Deus.

Na noite de terça-feira, Roger aborda o assunto a partir do Antigo Testamento, destacando o texto litúrgico de Deuteronômio 26.1-19, o qual ensina como o povo de Deus deveria trazer as primícias, as suas ofertas diante do Senhor. O tripé Fé – Gratidão e Compromisso é bem visível neste texto. A oferta era uma questão de fé, porque o Senhor havia libertado o povo de Israel da escravidão do Egito e o chamado para ser seu povo de propriedade exclusiva. A oferta era também uma questão de gratidão, porque tudo vem de Deus e é Ele quem sustenta o seu povo. Por isso, a alegria deve fazer parte do ato de ofertar. Da mesma forma, a oferta era uma questão de compromisso para com a pessoa próxima. Isso é caracterizado no texto bíblico de três formas: a) Compromisso de sustento da casa do Senhor: os levitas e sacerdotes, para que houvesse a Palavra de Deus e o Perdão dos pecados para o povo; b) Compromisso Diaconal: órfãos e viúvas, para que não houvesse necessidade dentro do povo; c) Compromisso Missionário: os estrangeiros e refugiados, para que houvesse bom testemunho no meio do povo.

Na segunda noite, quarta-feira, foi a vez de abordar o tema a partir do Novo Testamento. Nesta ocasião, Roger aborda o famoso texto da viúva pobre (Lucas 21.1-4), destacando três aspectos: a) Jesus observava como as pessoas traziam suas ofertas: os que ofertam a partir das sobras e os que ofertam tudo o que tem; b) Jesus compara as ofertas não quantitativamente, mas qualitativamente. A comparação é entre as sobras (o contrário das primícias – Dt 26) e tudo o que se tem para o sustento; c) Jesus ensina sobre o “Túdimo”: Se tudo vem de Deus e nada nos pertence, então somos chamados a entregar tudo o que temos e viver na dependência de Deus, ou seja, administrando tudo o que temos como dádiva de Deus, como sendo do próprio Deus.
Na última noite, quinta-feira, Roger aborda aspectos confessionais ligados ao tema, partindo da explicação de Lutero à 4ª Petição do Pai Nosso, no Catecismo Maior: “O pão nosso de cada dia dá-nos hoje”. Lutero, ao explicar essa petição da oração de Jesus fala em sustentabilidade da vida humana sobre a terra em dois âmbitos: familiar (doméstico e vizinhança) e o político (cidadania e governo). Para Lutero, onde esses dois âmbitos forem impedidos, acaba a sustentabilidade. Isso afeta o sustento do ser humano e em decorrência disso, da própria igreja.

Por fim, Roger apresentou ainda aspectos práticos do como se deve lidar com o tema dinheiro no contexto pessoal e familiar, bem como se deve trabalhar esse assunto no contexto da Igreja, ao falar de sua sustentabilidade.

Faculdade Luterana de Teologia - FLT
Rua Wally Malschitzki, 164 - Mato Preto
São Bento do Sul - SC - CEP 89285-295