FLT reflete a questão Étnico-Racial em seu culto semanal

No dia 04 de outubro, quarta-feira, a FLT promoveu, no contexto da devocional (culto acadêmico), um momento de reflexão e conscientização a respeito da questão étnico-racial. Considerando a origem do povo brasileiro, que é formado por diferentes grupos étnicos e raças, poderia se pensar que racismo seria um tema superado na sociedade brasileira. No entanto, infelizmente, essa não é a realidade. Apesar de neste ano termos comemorado 129 anos da abolição da escravatura, o racismo contra pessoas negras é muito forte. Também a respeito dos povos indígenas, estrangeiros, imigrantes europeus e, atualmente, em relação aos refugiados, há forte preconceito, racismo e discriminação em nosso país. Se não bastasse essa triste realidade na sociedade em geral, infelizmente, esse problema é visto fortemente também dentro do contexto da igreja brasileira. Não são poucas as igrejas e comunidades eclesiásticas que parecem viver num gueto, fechadas para pessoas, que etnicamente são diferentes da maioria de seus membros.
Nesse sentido, a FLT tem nos últimos anos discutido, não apenas no contexto de seus componentes curriculares específicos, mas também em seus cultos e demais eventos, a conscientização étnico-racial. O colegiado da FLT tem a convicção, de que esse tema transversal faz parte impreterivelmente da formação teológica de futuros ministros e ministras do Evangelho, que serão enviados às comunidades, onde o problema do racismo ainda precisa ser tematizado com maior ênfase, para que não apenas a missão de Deus possa acontecer, mas que a edificação e a revitalização de comunidades possam ser uma realidade.
Por um lado, a igreja luterana é conhecida na sociedade com os clichês de “igreja de alemão” ou “igreja de gaúcho”, o que não quer corresponder à intenção da igreja. Por outro lado, é fato inegável, que em vários lugares do Brasil, nossa igreja não consegue abrir mão do “germanismo” e do “gauchismo”, formando guetos, que impedem a inserção de pessoas de outras cores e de outras etnias. Eis um dos grandes desafios missionários da Igreja luterana brasileira.
Em anexo você encontra na íntegra a pregação do estudante do oitavo semestre do curso de Bacharelado em Teologia da FLT, João Carlos de Souza, proferida no culto acadêmico da última quarta-feira, dia 04 de outubro.

Faculdade Luterana de Teologia - FLT
Rua Wally Malschitzki, 164 - Mato Preto
São Bento do Sul - SC - CEP 89285-295