Egressos 2008

Luciméri Lichtenfels de Campos

Período em que estudou na FLT:
2004-2008

Breve descrição de sua trajetória de trabalho e/ou ministerial:
Após a formação na FLT, fiz trabalho voluntário na MUNIL (Missão Universitária Luterana) em Florianópolis, juntamente com o P. Rui Petry. Além da atuação junto aos universitários por meio de estudos bíblicos, discipulados, grupos de oração, almoços, aconselhamento, pude também me envolver com a Comunidade Trindade, na qual a Munil está inserida.
Depois estive dois anos na Paróquia de Trombudo Central, trabalhando com o P. Walter Cristian Bayer. Tempo muito rico com envolvimento em todos os trabalhos da paróquia: Cultos e ofícios, culto infantil, aconselhamento pastoral, estudos bíblicos, discipulados, JE, grupos de OASE, ensino confirmatórios, entre outros. Também tive um grande desafio nesta comunidade, com o trabalho de capelania hospital, junto a pessoas de longa permanência. Gostei muito desta área.
Em seguida fiz meu PPHM, na Paróquia Guarani em Santa Rosa-RS. Foram 17 meses num contexto bastante diferente do que tinha atuado até então. Com uma realidade mais rural, muitas comunidades, muitos trabalhos e num estado diferente do meu de origem. Foi um tempo de crescimento também.
A seguir fui ordenada ao ministério pastoral e recebi o envio para a Paróquia Cachoeira em Guarapuava-PR, onde atuo até o momento.

Local de atuação e função exercida atualmente:
Atualmente sou pastora na Paróquia Cachoeira em Guarapuava. Uma paróquia composta por 7 comunidades, no qual divido o pastorado com o colega P. Ari Käfer. Esta paróquia abrange as cidades de Guarapuava, Pinhão, Pitanga, Santa Maria do Oeste, Campina do Simão e Goioxim. Temos bastante distâncias para percorrer, o que é um grande desafio. Em geral são comunidades pequenas, com dificuldades financeiras. Mas ainda assim, Deus tem sido fiel conosco e temos conseguido desenvolver alguns trabalhos.

Desafios pessoais/familiares/ministeriais e motivos de oração a compartilhar
Penso que um desafio pessoal é aprender a conciliar a vida pessoal com o trabalho. Ainda mais agora que me casei. Porém, meu esposo tem me ajudado com isso e de alguma forma tenho conseguido organizar melhor o meu tempo.
O desafio ministerial, é de não esmorecer diante das tantas dificuldades. Animar e engajar pessoas não é tarefa fácil e diante do quadro de “crise” no país, está ainda pior. As pessoas de forma geral estão desmotivadas. E vem a pergunta: Como não se deixar abater?
Como motivo de oração, compartilho o meu casamento (fev/2016). Uma grande benção e alegria. Rodrigo, meu esposo, é um grande presente de Deus. Peço que nos incluam em oração, para permanecermos assim, animados, engajados na obra de Deus.

“O chamado de Deus é um desafio que vale a pena ser seguido. Deixe-se desafiar! ”

Faculdade Luterana de Teologia - FLT
Rua Wally Malschitzki, 164 - Mato Preto
São Bento do Sul - SC - CEP 89285-295